Frut Frios

MACARANI MOVEIS

MACARANI MOVEIS

quinta-feira, 21 de maio de 2020

Macarani: Várias horas esperando, sem almoçar, e sem conseguir sacar dinheiro, beneficiários reclamam da Loteria Bem de Vida


Não é só a pandemia do coronavírus que vêm causando transtorno para os moradores de Macarani, isso porquê a população vêm sofrendo há anos com a Loteria Bem de Vida, localizada na Travessa José do Patrocínio, que tem deixado a população “na mão”.

Desde a criação do nosso Portal O Responsável, em 2016, recebemos várias reclamações e desabafos dos clientes da Loteria Bem de Vida, que foram assuntos de matérias tanto em nosso blog, como em outros meios de comunicação.

E, nesta quarta-feira (20), mais uma vez o Portal O Responsável foi procurado pelos clientes e beneficiários do Programa Bolsa Família para reclamar e pedir uma ajuda pois, não aguentavam mais esperar mais de 8 horas para sacar o benefício. E o pior, não conseguiram sacar.

A equipe do O Responsável esteve na Loteria Bem de Vida, por volta das 16:40 horas, onde encontramos pessoas que estavam há mais de 8 horas interruptas ali, para tentar sacar o benefício. Tinha gente até sem almoçar esperando. Outras, desistiram de esperar.

Nos dirigimos até o caixa, que muito educadamente e solícito deu algumas informações. O nosso principal indagamento, e também dos clientes que estavam esperando, foi a respeito da demora para a liberação do pagamento. Os que receberam, chegaram muito cedo e tiveram a “sorte” na loteria. E segundo ouvimos e entendemos, a Loteria Bem de Vida não dispõe de um numerário suficiente para o pagamento de salários, isso porquê o dinheiro que entra na loteria é advindo de apostas, boletos, e depósitos realizados no estabelecimento. Esse problema, de “falta de dinheiro”, seria solucionado se a loteria pagasse um carro-forte para buscar o dinheiro na Agência da Caixa Econômica em Itapetinga.


Desde às 8 da manhã, pessoas enfrentaram uma fila enorme, esperaram, ficaram sem almoçar, para à exatamente 17 horas ouvirem: “Encerramos por hoje.”.

Questionamentos


Como pode uma loteria, monopólio, não ter uma gestão suficiente para organizar um quantitativo para o pagamento de beneficiários, correntistas, aposentados e pensionistas do município? Falta de informação de quanto a loteria tem que ter em caixa? Ou falta de vontade e respeito com a população?


Devido a pandemia, a Prefeitura de Macarani colocou dois toldos e cadeiras para que a população não fique exposta a sol e chuva e nem aglomerada em fila única, além de servidores que atuam nos períodos da manhã e a tarde para organizar quem chega e quem saí da loteria. Mas e depois que passar a pandemia? A loteria continuará amontoando os beneficiários na fila?

E semana que vem? Como vai ser, quando mais pessoas tiverem seus benefícios do Bolsa Família, do Auxílio Emergencial, salários da aposentadoria e outros mais liberados para saque?

Tentamos contato com a Caixa Econômica Federal, mas sem atendimento.

“O que fazer José?”


Sem contato da própria administração da Loteria Bem de Vida a população sempre se pergunta, “O que fazer?”, “Reclamar para quem?”, “Até quando?”. A realidade é que “Dona Maria”*, “João”* e “José”* tentaram hoje sacar seus benefícios e não conseguiram. Amanhã, quinta-feira, vão novamente, bem cedinho, antes da Loteria abrir, enfrentar a fila, para quem sabe, terem sorte na “casa de apostas” e conseguirem sacar.

O Portal O Responsável pede se possível o contato e deixa o espaço aberto para que a administração da Loteria Bem de Vida ou da Caixa Econômica esclareça os fatos correntes no estabelecimento no município.

SOBRE AS LOTERIAS FEDERAISA administração das Loterias Federais foi delegada à CAIXA em 1962, quando a União tornou-a responsável por sua exploração e por repassar ao Governo Federal, os valores destinados aos beneficiários legais, provenientes da arrecadação com a venda dos produtos lotéricos. Além de alimentar os sonhos de milhões de apostadores através de seus prêmios milionários, as Loterias CAIXA constituem uma importante fonte de recursos para o desenvolvimento social. Quase metade do total arrecadado com os jogos (incluindo o percentual destinado a título de Imposto de Renda) é repassado para os ministérios beneficiários e entidades não governamentais para investimentos em áreas prioritárias para o desenvolvimento do País. (GB)

Por Guga Amaral – Redação O Responsável