quarta-feira, 4 de outubro de 2017

MACARANI QUEBRADA – Com a crise, comerciantes em Macarani devem reduzir sorteios de prêmios entre clientes nas compras de natal.

CENAS DE 2016 QUE PODEREMOS NÃO VER EM 2017.
No ano passado (2016), logo após o fechamento das eleições municipais realizadas no dia 02 de Outubro, os empresários lojistas voltaram suas atenções para o período de maior movimentação do comércio, que é o final do ano. E na primeira semana pós-eleições, muitos já divulgavam suas promoções com sorteios de prêmios visando atrair os clientes às compras de natal.
Claro, o cenário econômico nacional e local era bem diferente e muito animador. Nacionalmente a crise começava a ser controlada e havia uma confiança de mercado no governo do Presidente Michel Temer, que ainda gozava da confiança dos brasileiros e ainda não tinha caído em desgraça por conta das denúncias de envolvimento com as propinas da lava jato.
Em nível local: havia a confiança de que mesmo derrotado nas urnas, o então Prefeito Armando Porto, iria cumprir a palavra de que pagaria o 13º salário antes do natal e o salário de dezembro de 2016 não seria deixado para 2017, na responsabilidade do Prefeito eleito Miller Ferraz.

Tivemos então o cumprimento das palavras de Armando, que pagou o décimo terceiro salário dois dias antes do natal e pagou toda a folha antes de30 de dezembro e ainda deixou saldo em caixa de mais de quatrocentos mil reais para o futuro Prefeito administrar.
E agora? Bem, agora as perspectivas e expectativas dos comerciantes lojistas de Macarani são bem mais pessimistas. Não existe garantia de que oPrefeito Miller Ferraz, irá conseguir pagar o 13º salário antes do natal (ele não disse que não vai), e o salário de dezembro pode também não ser antecipado.
Juntem-se a isso as demissões recentes de quase 200 funcionárioscontratados da Prefeitura Municipal de Macarani e a tão sonhada fábricaRenata Mello, que até o momento não conseguiu entrar em funcionamento e dificilmente ainda irá funcionar neste ano de 2017.
GAZINHO ALMEIDA ESTÁ PESSIMISTA.

“Está muito difícil à situação do comércio, até porque ninguém faz nada sem parcerias, e no ano passado tivemos grande parcerias que nos possibilitaram realizar aquele super festival de prêmios com moto zero km, geladeiras, fogão, televisor e todos os outros prêmios. Esse ano parceiros fortes, nossos fornecedores como a PONTUAL, que nos ajudou com a moto entre outros prêmios, reduziram suas franquias e até mesmo fecharam as portas e isso vai inviabilzar em muito as nossas metas de final de ano”. Declarou Ademir Almeida (Gazinho) da Rede Fruti Frios, que realizou uma das maiores campanhas de vendas em 2016 no ramo de alimentos em Macarani em conversa com o RGBAHIA.

Na mesma situação pessimista estão os empresários lojistas da Kanário Móveis e Kanário Modas, Macarani Móveis e tantos outros que ainda não traçaram seus planos para a chamada campanha de natal.