quinta-feira, 1 de junho de 2017

Polícia acusa família de enterrar caixão vazio para ficar com seguro

A Polícia Civil de São Carlos (SP) investiga o envolvimento de quatro pessoas em uma fraude de R$ 1,4 milhão de seguro de vida. Uma sepultura no nome de uma mulher de Matão (SP) que está viva foi aberta nesta terça-feira (30) pelos policiais, que encontraram no local o caixão com pedra e serragem no lugar do corpo. Segundo a investigação, os suspeitos usaram os documentos dela e simularam sua morte para conseguir o dinheiro de 5 apólices de 4 seguradoras. O líder do esquema é um ex-agente funerário de 47 anos, que contou com a ajuda do genro, um corretor de seguros de 25 anos, e sua filha, uma dona de casa de 24 anos, que seria a beneficiária dos seguros. Um médico que prestava serviços em uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de São Carlos teria expedido a falsa declaração de óbito oficial.