SCHIN

SHOP DA CONSTRUÇÃO

SHOP DA CONSTRUÇÃO

quarta-feira, 28 de dezembro de 2016

Sudoeste: Mais de 10 seguranças espancam família em festa em Jequié

A festa Jequié Sunset, que aconteceu neste último domingo (25/12), na cidade de Jequié, há 360 km de Salvador, acabou em agressão e revolta para a família da psicóloga Maria Carolina Sampaio. Segundo ela, ao final da última banda, enquanto conversava com alguns amigos, um dos seguranças se aproximou e, de forma autoritária, pediu para que o grupo deixasse o local.
“Eu, pedi para esperar um pouco porque meu marido estava distante e ele vinha em minha direção. Foi quando tudo começou. Eles começaram a empurrar meu cunhado com força e gritar comigo e com minha irmã: ‘anda, vagabunda’”, contou Carolina, que ficou em estado de choque. “Eles derrubaram meu cunhado no chão e começaram a chutar. Em seguida dei conta que minha irmã estava sendo agredida e logo depois vieram em cima de mim. Tentaram socar meu rosto. Me puxaram pelo braço a força e tentaram me imobilizar. Foram pra cima da minha irmã, socaram o rosto dela de murro”, completou a psicóloga.

Carolina conta que no momento em que seu marido tentou defendê-la, apareceram mais 10 ‘seguranças’ e se identificaram como policiais militares e, a partir daí, a confusão foi ainda maior. O grupo espancou o marido e o cunhado de Maria Carolina. “Derrubaram meu marido no chão e chutaram ele. Chutaram a cabeça do meu marido e de meu cunhado. A costela, o braço. Eu só ouvia: ‘vocês vão morrer’. Nunca tive tanto medo na vida”, desabafou.

A irmã de Maria Carolina, a advogada Maria Clara Sampaio está com a boca desfigurada e o tórax bastante machucado. O cunhado e marido de Maria Carolina têm hematomas pelo corpo. A reportagem tentou contato com a equipe de seguranças da festa, mas não foi atendida. A organização do evento divulgou uma nota, segundo a qual “está tomando medidas para averiguar com rigor os fatos ocorridos inclusive junto às autoridades competentes”. Os organizadores do evento pediram para que todas as partes envolvidas procurassem a polícia no sentido de prestar depoimento e disseram estar acompanhando “de perto a apuração do fato”. // Tribuna da Bahia

Nenhum comentário:

Postar um comentário