domingo, 20 de novembro de 2016

Em Salvador, 'Novembro Negro' tem exposição sobre Martin Luther King

Exposição reúne obras sobre Martin Luther King (Foto: Carla Ornelas/GOVBA)
Para celebrar o mês da Consciência Negra, a Biblioteca Pública do Estado, no bairro dos Barris, em Salvador, sedia até o final de novembro a exposição ‘Martin Luther King: legado e inspiração’. O evento gratuito é composto por 15 painéis e textos sobre a vida e luta de um dos mais importantes líderes do movimento dos direitos civis dos negros no mundo.

A exposição foi produzida após parceria entre a Biblioteca Pública Thales de Azevedo e o Consulado dos Estados Unidos, localizado no Rio de Janeiro. Para a assessora da Fundação Pedro Calmon (FPC), unidade da Secretaria de Cultura do Estado (Secult), Cássia Magalhães, a exposição vai ajudar a população a refletir sobre importantes questões. “A luta dele [Luther King] teve um impacto no mundo todo, mas continua. O racismo não acabou", alerta.

Martin Luther King Jr. nasceu em Atlanta (EUA) em 1929, foi um pastor protestante e ativista político na luta pela solidariedade para a construção de um mundo melhor, baseado na igualdade de direitos sociais e econômicos dos EUA. Sua atuação foi fundamental nas mudanças que ocorreram na legislação do país norte-americano entre as décadas de 1950 e 1960, como as leis em Direitos Civis e a lei do Direito ao Voto.
As lutas de King se expandiram para além do continente americano. Em 1964, recebeu o Prêmio Nobel da Paz pelo combate à desigualdade racional através da não violência. King era odiado por segregacionistas, o que culminou em seu assassinato em 4 de abril de 1968, momentos antes de uma marcha, num hotel da cidade de Memphis.  O Dia de Martin Luther King Jr foi estabelecido como feriado federal dos EUA em 1986, além disso, centenas de ruas nos EUA também foram renomeadas em sua homenagem.